sábado, 7 de maio de 2016

De volta ao Blog e pedalando, é claro!

Caramba!! Quanto tempo! Última postagem foi no ano de 2011. Quanta coisa já se passou! Escrever para o blog me azia bem, então por que parei?
Hoje veio à memória a existência de meu blog sobre a vida de pedal, então, parei para lê-lo. Que recordação boa!!
Há uns anos atrás, conheci um senhor com seus 70 anos de idade, e ele me disse: quer ser um homem feliz? Então escreva, registre tudo o que você fizer em uma agenda. Ele se referia a um diário pessoal, onde todas as ações e coisas que acontecessem comigo fossem anotadas. Fiquei por um bom tempo pensando nisso e, infelizmente, não o fiz. Porém, hoje lendo meu blog e recordando minhas lembranças, senti e entendi um pouco o que aquele senhor me sugerira outrora. A sensação é muito boa. Realmente nossa memória não se lembra de tudo e vocês não tem ideia do tão pouco nós lembramos.
A vantagem não é apenas em recordar, aliás, como já dizia o ditado: recordar é viver. Mas sim, percebemos nosso amadurecimento, escolhas que fizemos num passado não muito distante, que nos atinge em cheio e, com efeito, nos faz avaliar a vida: erros e acertos, medos, inseguranças, força, superação, trilhas seguidas sem volta, mas que pode nos levar para uma vida plena e em constante evolução.
Por isso tudo, e pela vontade de continuar melhorando, seguiremos em frente. E eu, continuarei pedalando, incentivando novos adeptos e divulgando um pouco de mim por meio do hábito de pedalar.
Grande abraço a todos, e sigam meus pedais por meio deste blog.
______________________________________________________________________________

Pedal de hoje:

De leve, devido a uma contusão causada pela corrida, pedalei trinta quilômetros. Tranquilo, sem pressa, apenas para acostumar os músculos da perna com o ato de pedalar.
Logo de cara, deparei-me com um caminhão carregadíssimo de carvão tombado no trevo da cidade, Aliás, sempre quando os vejo tortos de tanta carga fico pensando: será que não há perigo de tombar? E sempre ultrapasso esse caminhões com muita pressa com medo de cair sobre mim. A partir de hoje, acho que nem vou ultrapassá-los mais, porque descobri que o perigo existe...e ele tomba mesmo.
Isso dá um churrasco heim?!!!

Com o preço que está o carvão...

Amanhã escrevo mais...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Bela Vida de Pedal

Essa música foi composta por mim enquanto eu pedalava. Espero que curtam. Abraço!

sábado, 7 de maio de 2011

Dia de antítese!

Resolvi hoje pedalar pela cidade e atentar para o que, comumente, poucas pessoas atentam: a cidade onde moramos e as pessoas que nela vivem. O ritmo da bicicleta nos proporciona isso. Pedalar pela periferia da cidade e por bairros de pessoas da classe A e B fez com que eu visualizasse as diferenças arraigadas nos costumes e princípios de cada grupo.
Uma grande oportunidade de entender a antítese que nos cerca.
Condomínio de rico
 Condomínio de pobre
Bom gosto (meu ponto de vista)
 Mau gosto (meu ponto de vista)
 Área preservada x área de construção
 Poder do vento
 Casa de 1 quarteirão
 Casa de 1 quarto
Vida Simples

 Rural x Urbano
 Periferia da cidade - lugar de gente feliz e humilde. Essas crianças ficaram muito felizes com a oportunidade de sairem na foto. Muito legal!

 Na periferia encontram-se muitas bicicletarias. A bike aqui é o veículo mais utilizado e por isso é dado o valor merecido a ela.

 Única ciclovia da cidade e bastante pequena.
 Entrada da cidade.
 Meninos catadores de latinha. O da esquerda tem 7 anos, o da direita 9. Trabalhando para ajudar na manutenção da casa.
 Local para exercícios e caminhada. Nessa ciclista não tem vez. rssss
 Pista de caminhada e corrida. Bicicleta tá fora.
 Engarrafamento numa cidade de 45.000 habitantes. Isso é incrível!! E quem larga do carro? Pouquíssimos!! Largam por cultura ou necessidade. Aqui a segunda opção vence.
 Sr. Elias, 72 anos e pedala o dia inteiro vendendo pão. Não precisa ir ao médico, mantém o corpo saudável e quando me viu com o capacete disse que irá comprar também para se proteger.
 Área rural da cidade. Nem colocando placa de aviso.
Foi um dia de pedal formidável. A bicicleta me possibilita aprender, com seu giro lento percebo mais, observo mais, logo, absorvo.
Abraço a todos!




sábado, 30 de abril de 2011

De casa ao trabalho pedalando...

video

Pedalando até o trabalho faz-me sentir mais disposto. O Sol da manhã é muito saudável e o vento batendo no rosto me acorda para o trabalho.
Algumas pessoas acham que sou pão duro, pobretão pelo fato de ir ao trabalho de bicicleta e não entendem o prazer de pedalar. E então quando ponho a barra da calça por dentro da meia para não sujá-la?!! hehehe...tá certo, bonito não fica não, mas mantenho-a limpinha. Como diz o ditado: "Eles riem de mim por ser diferente e eu rio deles por serem todos iguais".
Eu recomedo...experimente e verás!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Domingão sem Faustão!!! Que maravilha!

Ao invés de ficar dormindo até às 9:00 h como de costume nos domingos, neste domingão acordei às 7:00 h e saí para pedalar com dedicação.
Regulei as marchas da minha máquina e logo a frente encontrei outra máquina muito maior que a minha e esperando sua hora para entrar em ação. Aliás, estou torcendo para que inicie seu trabalho para reduzir o preço do álcool nas bombas.

 Recomecei a pedalada, muito areião, o que fazia com que meu esforço fosse bem maior. Contudo, ao levantar a cabeça e visualizar o caminho pela frente me deparei com esse visual abaixo. Grandes subidas. Isso não era nada quando eu comparava com minha outra opção que tinha na cidade. Assistir Faustão, ou Didi, ou Eliane, ou Celso Portioli, enfim, sem condição.
 Sorte que tinha levado meu canivete doado por meu pai. Parei três vezes só para desfrutar da cana à beira da estrada. Uma delícia!
 Pedalando ao meio dia o Sol mostrava sua força. Acho que comecei a ter vertigem e encontrei esse bicho esquisito que fazia sua caminhada pensando em emagrecer. Hahahahaha...olha a perninha dele. Qualquer semelhança com a minha é mera coincidência.
 Logo mais, quando estava quase desistindo de pedalar embaixo daquela lua, recebi um aviso em forma de uma placa que dizia: VAIK E VAI. Então, segui o aviso e continuei pedalando.
 Parei novamente para tirar uma foto, mas o capim atrapalhou e escondeu minha bike.
Pedalando, passei por está paisagem que me chamou a atenção. Lembrei de um quadro que ficava na parede da casa de minha avó Ana em Aquidauana. Era bem parecido com esta imagem.
 O calor escaldante me convidava para um "tibum", mas nesse caso não achei acesso para me banhar. Então, fiquei satisfeito com um simples retrato.
 De volta à Naviraí, tive uma recaída e acabei estacionando meu veículo num posto de combustível. Fiz questão de marcar este momento nada agradável. O preço do combustível é um convite para deixar o carro em casa e pedalar. É engraçado que eles colocam a propaganda do preço exorbitante do combustível. Aí, nossa cabeça fica quente e logo abaixo eles já avisam que tem gelo. hehehehe...isso que é marketing.

Finalmente, após um dia maravilhoso de pedal, fui direto ao clube da cidade nadar.
Quilometragem pedalada: 60 km exatos.
Horas de pedal: 3:30 horas.


quarta-feira, 6 de abril de 2011

Estou zero!!

Depois de entrar na academia e fortalecer os músculos da perna tô zerado!!! Agora é manter os músculos fortalecidos e continuar pedalando numa boa. Fazer musculação em princípio é muito chato, eu particularmente não gosto, mas conforme você vai vendo resultado no corpo começa a ficar legal.
Abraço a todos!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Ai meu joelho!!!

Ai meu joelho...Após meses de pedal surgem as primeiras dores. Até nesse ponto a bicicleta faz com que exercitemos nossa paciência. 
Depois de um exame médico foi cosntatada uma pequena lesão no tendão patelar, uma inflamação que, por enquanto, afastou-me do pedal. Iniciei a fisioterapia, mas para quem pedalava mais de 100 km por semana é difícil ficar parado e esperando a total recuperação.
A paciência, ou melhor, a falta dela nessa situação atrapalha todo tratamento, por isso o ideal é dar um tempo e se tratar com disciplina. Aliás, a disciplina é amiga de toda hora. Tanto no treinamento como no tratamento.
Não aconselho começar um esporte sem estar com os músculos fortalecidos. Essa é a causa de minha tendinite, o quadríceps ainda não estava fortalecido e agora sofro as consequências. Bom, agora paciência.
Faz parte da vida de um atleta! hehehehe

Abraço a todos!

Postagens populares